domingo, 23 de dezembro de 2012

Soneto de amante

Recitou aos ouvidos que logo morrerei,
Amorteceu minha boca de doce balada,
Zero foram alguns dos beijos que dei
Com o sabor da fruta envenenada.

Envenenar com solidão um amante
É como empurrar um coração suicida,
Fixar sua morte em céu não estrelante
Ou ocultar do céu o luar da vida.

Hoje o amor me tornou um cadáver
Morto de amor, mas ao seu lado
Já que mataram seu maior aliado

Nas profundezas do seu ser infernal
Amante e amor ainda vivem por aí.
Sendo assim, morto operante é imortal.


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Ventos Cegos

Veloz foi minha cavalgada no cavalo alado
pareando com o meu coração amante,
mas foram ventos cegos de um olhar inoperante
que fizera de mim um coração errante.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Soneto Despedida

Da primeira vez ocorreu  impetuoso
oprimiu a calma feito um louco
violentando meu ser pouco a pouco
fez dos meus olhos secos aquoso.

Da segunda vez ocorreu a esmo
resumiu o caminho eterno a colisão
assassinou friamente a paixão
fez dos meus olhos amantes ermo.

Enquanto teus olhos brilhavam aos meus
o choro, a sofreguidão, o impeto que ocorreu
era claro meus olhos ainda eram teus

Quando meus olhos se perderam aos teus
a morte, a colisão, o ermo que ocorreu
era claro teus olhos não eram mais os meus

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Arte do Mo

Da vida nasce um encontro,
uma união como a vista do cais,
um entrelaço de sentimentos
uma cumplicidade e tudo mais

Um prazer de estar em traços
com gotas de suor nas pernas e braços.
Novas percepções de prazer e amor
momentos vivenciados com muito ardor.

Dois corpos que exalam artes
em seus movimentos dentre as partes,
partes que objetivem grande interpretação
e o balanço da dança com o coração

Bem aventuradas essas duas flores
que partilharam entre si amores
Amor que muitas vezes desejado
e nem sempre é alcançado.

Duas belas naturezas munidas de sintonia
entre flores, bebês, orquídeas e sapos,
não se entende só se sente a energia
de belas viagens e bons papos.

domingo, 26 de agosto de 2012

Você com essa mania de se esquivar,
de dizer não ou simplesmente me ignorar.
Porque sempre deixar e não estar?
Desistir devo eu então de amar.

Desistir? Como? Já que não sei
irei tornar-me dissimulado ao amor.
Tentei! Quis muito me livrar,
assim como quem luta contra a morte.

Porem, morri de amores novamente,
e novamente eu a vi se esquivar,
me ignorar... E eu sempre amando
mais e mais, sonhando loucamente.

Como se faz amar? Não sei!
Tentei estudar o amor, mas descobri
que não se aprende apenas se sente.
Que para amar, não basta o amor.

Amor, amar! Qual a diferença?
Amar eu amo muito, e como.
Amor eu sinto muito, nossa e sinto!
Eu, eu e eu, falta alguém... Alguém me amar!

Quero partilhar todo esse amor,
mas que seja mútuo, que saiba me amar
como eu já amei. Que ame sem clemencia,
não meu tipo mas minha essência.

Sabe Porque? Eu sei amar, e como sei...
Só não sei fazer as escolhas, que sempre
acabam em pessoas como você.
Que não sabem nada sobre o amor






quinta-feira, 26 de julho de 2012

Para menino, para!

Sem cessar meu olhar faz admirar o arco-iris
adormecendo mesmo abertos fita suas cores,
prospera atravessa-lo conhecendo seu fim.
Para menino, para! Não existe nada no fim do arco-iris

Radiante banhando me nas calmas águas tina para banho
me inspiro a um dia desbravar mares atras de sonhos,
aventuras que um dia me levará a prosperidade
Para menino, para! É ilusão navegar pretendendo a ilha do tesouro

Admirado lendo ou repousando diante de um filme
me instiga aquela viva impressão do animo,
me faz querer igualar aquelas emocionantes história de herói 
Para menino, para! Não vá pular da janela, você nunca será

Dou credito as pessoas acreditando na paz de espirito
na família em um ser único que traz  brandura à todos,
peço então em escrita o mimo que desejava
Para menino, para! Não posso te dar uma bicicleta, Papai Noel não existe





terça-feira, 12 de junho de 2012

Pleno Amor

Amar é perder e querer bem,
é criar raiz mas deixar florescer,
é partilhar desejos imoderados
é fogo, paixão e apenas Happy Hour.

Amar é mãos dadas fazer poesia,
é amor a nada, é inconjugável,
é mero cinema e não dicionario
é intrínseco desfocado da forma.

Amar é o único que vence a morte
é intangível na sua fortuna
é operante unificando duas
é Eu Te Amo em pleno silêncio.

Poesia Guilherme de Almeida

Onde? Não sei. Porque? Não sei. Mas Como?
[Quando?
- Eu disse nada sei.
Sei apenas que, enquanto eu delirava amando,
nunca soube que amei.

Nunca! Que me importava? era muito... Entretanto,
cheguei mesmo a supor
que para amá-la assim, que para amá-la tanto
não bastava um amor.

Era preciso mais: que esse amor fosse eterno,
que espedaçasse o véu
que esconde a eternidade e inventasse um inferno,
ou descobrisse o céu.

Um inferno? - Ainda bem: a dor seria doce...
Um céu? - Tanto melhor:
amá-la-ia mais... Como se o amor não fosse
um céu ainda melhor!

Sem sofrer, sem gozar, passei da dor mais brusca
ao mais brusco prazer,
buscando-a loucamente, assim como quem busca
uma razão de ser.

E ela fugindo sempre... E eu Procurando-a, doido,
sempre mais, sempre em vão,
deslembrando talves de que o amor esta todo
apenas na ilusão

Quis perdoa-la, esquece-la... E vi que me faltava
força para querer:
eu amava demais para perdoar, amava
demais para esqueçer!

Sentindo que seria impossivel privar-me
dela que estava em mim,
convenci-me de que só me restava odiar-me
por tê-la amado assim.

Quis odiar-me, tentei odiar-me sem clemencia,
detestar-me... Porém,
amei-me, idolatrei a minha própria essência,
que era a dela também

E, quando por mim mesmo, amando-a em mim, eu devo
hoje em dia contar,
nas rugas do meu rosto e nas canções que escrevo,
a delicía de amar!

Simplesmente você

Minha menina...
Uma menina admirável...
Uma mulher incrível...
Uma pessoa Maravilhosa...
Uma alma sobrenatural...
Uma companheira inigualável...
Uma Fernanda extraordinária...
É apenas isso, porque tudo isso,
é pouca a comparação do tudo, 
que essa pessoa representa.
simplesmente você ou inatingível você...
assim seja, assim seja, assim seja você
sempre assim seja você.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Somente um espaço de Tempo

Tempo, tempo, tempo
Se te fiz esperar não me perdoe
sei como és, não se arrepende.
Quando quiser te encontrar
talvez seja tarde demais,
não sei se ainda terei tempo,
não sei se ainda irei te aproveitar

tempo, tempo, tempo
porque não me pertence mais,
porque desaparece de súbito,
porque não faz mais parte de mim.
Trocaram-lhe por pedaço de pizza?
Talvez deixaram-te esperando 
na sala de espera de um consultório.

Tempo, tempo, tempo
não se engane você só tem uma chance
se me perder, eu te perderei
não há vencedores ou perdedores,
há somente  um espeço de tempo
 que se concebe a quem o concebeu,
 a quem vivenciou realmente o que viveu.


quarta-feira, 28 de março de 2012

Corro no campo, deito na Estrada

Doce Jardim que vejo no horizonte
banhado com chuva manhosa
que ao cair no palmado das flores
lega um cintilante e vistoso colorido
ao refletir as cores naquele campo

Ando ansioso ao redor das cercas
cercas feitas de madeira pura
um marrom forte dando vista a sua pureza
sinto o aroma da fina chuva
confundindo com a do mato molhado.

Atras de mim passa uma estrada
um asfalto quente e cinzento
meu olhar foi à atravessando
quando se deparou com uma cadeira
estava bem postada em seu canto
um privilegiado lugar na humilde sombra
fugindo do sol intenso que batia ali

Sentado me deliciando com o frescor
estava eu no limite temporal
entre essas duas faces pairando
observando a escassez dos elementos
admirando com minúcia cada centímetro
cada milimetro toda areá ao meu redor
até onde não há mais oque ver

Sem enxergar não tomo sentença.
Pego a estrada e corro veloz?
corro com um imã na cabeça
atraindo tudo o que quero consumir?
Ou se amarro uma rede macia
em um sombreado tronco de Arvore
gozando de um belo livro deitado
impulsionando o meu ócio a fomentar.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Eternos amantes

O furacão que invadiu minha pousada,
varias vezes me desnorteava com
suas letras vindas de longe e o som
as vezes manso e a vezes arrebatador

Fiquei feliz ao ver você na quinta
encontro marcado aos meus 16
varias quintas duraram pouco meses,
vários meses duraram anos,
porem muitos anos não tiveram meses.

Foi a primeira brisa a me levar,
me levou para o desconhecido que
hoje conheço muito bem.
Conheço devido as quintas que houveram
e as que não houvera também,
devido aos anos vividos junto
aos dias que até aqui já provei.

Ah! Quantas quintas feiras, até onde sei
foram maravilhosas as que vivenciei
tanto que quando não a dias
é sempre as quintas que procurei
Serão as quintas alguns instantes
ou em algum mês ou ano,
nós nos tornaremos eternos amantes.