segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Visao de Venus

Meus olhos foram banhados
pelo mar de rosas venusiano.
Há cantos por todos os lados
e muitos me levam ao oceano.

Não que eu vá devorá-las
como seu predador vulgar
Sou encantado pelo seu cantar
e mergulho nos olhos das belezas.

Nesse instante ouço o canto
sinto cheiro de jasmim
salivo como gaiato no mato
ao ver a mesa enfeitada de pudim

As crianças esperam o doce querer
Como eu canto esperando florescer.
Se ainda o canto escutar
pulo no mar sem medo de apaixonar.

Assim que mergulho olho as serias
poderia me entregar a todas
todas tem o doce sabor das colmeias
mas me afogaria no enxame de tantas

Me ensurdece dois cantos no ar.
Restituo o cantar para elas
a que rimar as mesmas baladas
me entrego a nadar.