segunda-feira, 15 de maio de 2017

Soneto Meu

Ouvi dizer que vivo em uma ficção,
Onde o mundo é pura idealização.
Lá, as minhas emoções conversam
E os meus pensamentos silenciam.

Meu tesouro está no fundo do olho
No x da verdade, na igualdade.
Meus olhos cerrados vêem claridade,
E deixa os fios de padrões de molho.

Garimpo a vida a achar diamantes
Que se encontra no amor dos momentos,
Sem vos poupa-los no bau das estantes.

Quero sim degustar corajosos atos
Nutrir-me dos vocábulos das verdades
E sentir o prana de outros pratos.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Os dizeres do sentir

Sei que minhas palavras muitas vezes não entoam,
Mas o que sinto vibra tão eloquente,
Que se prestar atenção saberá tudo que quero dizer.

Pés no chão

Cascalho é o galho da arvore que caiu
E enrijeceu de tristeza por não dar frutos
Encobriu os caminhos de terra sadio
Que não escoam mais as águas das chuvas.

E os beija-flores que beijam cascalhos
Já diluídos em flor bem aquariana,
Que revoluciona ao nascer em retalhos
De quem já teve um dia os pés na cor terrana.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Mãe

Um dia uma mulher fez florir ao chorar e depois sorrir,
fez do estrondo de um corpo que caiu a sua força.
Rodou a baiana de saia rodada dançando, flutuando,
fez a água ferver de beleza e então surge a criança.

Surge também uma mãe construindo biografia,
Sua dança de braços para o ar agora abraça, acaricia,
Se torna um mundo cheio de vida e ventania.
Que mãe nunca pensou em seu filho ao vento?

Desabar agua

O amor é a água que precisamos em doses
diárias para nos mantermos vivos,
mas se mergulharmos profundamente,
podemos morrer apegados.

São Cultural

São diferentes quando se aprende,
quando a profundidade o banha,
as imagem bonitas se transformam,
não são mais o banal cartão postal.



terça-feira, 10 de maio de 2016

Abacateiro

A vivencia tem seu tempo ato
e acato sua temporização, evolução
Todos somos frutos da natureza,
feitos de estação do verde ao maduro.

A vivência é regida pela pura arte,
Onde há transmutação e inspiração.
Ela é rebelde leva os padrões a marte,
Agente até tenta, mas não controla não.

Cada vivencia tem seu abacate,
não o fruto em si no literal,
Mas a semente a terra, a água,
O caule, tronco, folhas até o abacate.

Não basta inquietarmos o tempo
Queremos perturbar o natural, a vida.
Desrespeitamos a arte que é viver,
Sempre querendo o fim e não o meio.

Até as comidas queremos anteceder,
Tornar o verde maduro antes dele realmente ser.